O Fim da era do Emprego na Estética – E como isso pode impactar o Profissional

Tempo de leitura: 11 minutos

A Era do Fim do Emprego

A tecnologia vem causando uma revolução nunca antes vista na história da humanidade. Tudo acontece de forma muito rápida, as mudanças são constantes e tudo aquilo que era certo, acaba virando uma incerteza, principalmente para quem não tiver velocidade suficiente para se adaptar as novas realidades impostas pela modernidade.

Se por uma lado, a tecnologia ajuda, por outro lado, ela causa sérios problemas. A máquina, a tecnologia, vem substituindo o homem na execução de muitas tarefas, o que vem gerando incertezas sobre a forma pela qual temos a relação de trabalho. Inclusive, muitos especialistas anunciaram o fim do emprego e das relações trabalhistas como conhecemos há anos. Em breve, teremos uma realidade amplamente diferente daquela com que se depararam nossos pais há até pouco tempo atrás.

Isso quer dizer que o empreendedorismo vai tomar cada vez mais espaço na sociedade, onde a nova geração terá que usar a estratégia, a criatividade e a tecnologia para criar um modelo de negócios que seja útil e gere valor para a sociedade e assim ser remunerado por isso. Exemplos já temos, como por exemplo o Uber. No caso desta empresa, cada motorista é um empreendedor, e não um funcionário, o Uber não é o patrão e sim um parceiro de negócio, que fica com uma porcentagem do valor ganho pelo motorista, pelo simples motivo de gerar demanda para esses motoristas através de estratégia, criatividade, tecnologia e também investimento. Esse panorama será cada vez mais frequente daqui em diante, pode esperar.

Além do Uber, temos outros exemplos como Airbnb, onde pessoas alugam um espaço dentro de sua casa, ou uma casa inteira para viajantes, gerando uma renda bem interessante para pessoas de todo o mundo, já que esse aplicativo é de âmbito mundial.

 A Era do fim do emprego na estética.

Agora vamos a realidade dentro do mercado de estética, seguindo a minha visão atuando dentro do mercado de estética há 12 anos e tendo atendido mais de 10.000 clientes em minha empresa de venda de produtos de estética, além de ter participado de outros negócios, como o Programa Estética na Tv e o curso online Como Atrair Clientes na estética. Aquilo que eu chamo de a Era do fim do emprego na estética, tem pouco haver com esse panorama, mas quis introduzir esse assunto, pois ela também poderá ser impactante no futuro do nosso mercado, já que a tecnologia já ajuda muitos profissionais em suas clinicas de estética.

Mas o motivo pelo qual eu anuncio o fim do emprego na estética é outro: A relação trabalhista pouco vantajosa entre o dono da clínica de estética ou salão de beleza e seus funcionários, os profissionais de estética e beleza.

Vamos entender um pouco melhor. Devido à enorme concorrência entre clinicas de estética em qualquer parte do país hoje, devido à falta de regulamentação e regras no setor, e também a ilusão causada pelo BOOOM da estética há alguns anos atrás, onde se imaginava que trabalhar com estética era sinônimo de liberdade de tempo, ganhos altos e fáceis. Esse fato gerou uma enorme guerra de preços entre clinicas regularizadas e as famigeradas clinicas de fundo de quintal, onde essas clinicas com profissionais despreparados e estrutura deficitária, acabou gerando uma retração de valores dos procedimentos estéticos apenas por cobrar mais barato e forçar aos concorrentes baixarem também para disputar mercado. Ao ocasionar essa queda nos preços, obviamente que comercialmente falando, esse “prejuízo” deva ser minimizado de alguma forma. Uma das formas, é naturalmente a queda da qualidade dos cosméticos, dos produtos de segurança, como descartáveis etc. Outra forma de tornar viável a estética com preços mais “competitivos”, é pagar salários mais baixos aos profissionais de estética, e ainda aumentar sua carga horária de trabalho, que muitas vezes ultrapassa as 44 horas semanais previstas em lei, tornando assim, essa relação um pouco problemática, e como toda relação onde as 2 partes não saiam ganhando, ela tende a se romper.

Com isso, gerou no profissional de estética, a necessidade de empreender seu proprío negócio, abrir sua própria clínica de estética, o seu salão de beleza, seja qual nome for, atender seus clientes em sua própria casa, fazendo dela um espaço de atendimento informal, ou mesmo fazer procedimentos home care, aqueles onde a esteticista vai até a casa do cliente fazer seus atendimentos estéticos.

Hoje na minha visão, 90% ou mais dos profissionais da beleza desejam empreender e ter seu próprio negócio, já que a relação trabalhista não tem sido vantajosa. Por sua vez, as clinicas tem cada vez mais dificuldade em contratar profissionais para trabalhar, e terão mais dificuldade ainda daqui para a frente. Isso gera outro grave problema, além da dificuldade em encontrar bons profissionais para trabalhar. As clinicas de estética tem formado uma legião de concorrentes para si, já que esses profissionais que não estão empregados estão trabalhando por si só. São como carros que circulam na cidade grande só com o motorista, aumentando o numero de veículos nas ruas, e consequentemente aumentando os congestionamentos. E todos nos sabemos o problema que isso gera no mercado de estética: quanto mais concorrentes, quanto mais oferta, quanto mais competidores, mais o preço tende a baixar. Isso é uma regra da economia e serve para qualquer mercado. E essa é a realidade nua e crua vivida hoje dentro do setor de estética.

E Agora, sou empreendedor na estética? O que eu faço?

Temos agora um problema seríssimo. Um profissional de estética qualificado, é muito bom tecnicamente, mas provavelmente lhe faltará algumas habilidades básicas necessárias para fazer o seu negócio de estética prosperar. Uma dessas habilidades é o marketing. Ele abre seu negócio, mas não tem o essencial que é o cliente, e também não tem ideia de como consegui-lo. Isso ocasiona mais um problema. Qual???  Qual é a maneira mais fácil de atrair clientes? Baixar preços, não é mesmo? Não exige preparação previa, e é muito simples, é só cobrar menos que o concorrente. Porém,  Isso é um problema muito sério, pois gera muito outros Problemas: Intensifica a guerra de preços, pois o seu concorrente vai querer baixar também e de quebra torna o seu negócio pouco lucrativo e as vezes até causa prejuízos. E o famoso pagar para trabalhar. Esse fato ocasionou a saída de muitos profissionais para outros a mercados, pois já não se sentiam estimulados a trabalhar com estética, pois se considerarmos o alto investimento em equipamentos, cosméticos e em conhecimento necessário para crescer na carreira, a conta acaba não fechando.

Mas quais opções eu tenho de empreender com sucesso na estética?

O Dr Lair Ribeiro, conhecido autor de bestsellers, tem um modelo para resolução de problemas. O modelo é o seguinte: Quando há um problema a ser resolvido, ele faz 4 perguntas: Qual é o problema? Ele diz que problema definido é problema 50% resolvido. Quais são as causas do Problema, e quais são as possíveis soluções, e dentre as soluções, qual seria a melhor?

Nós temos aqui um problema: Eu tenho a necessidade de empreender, mas tenho perfil técnico e não sei como fazer para atrair clientes. Esse é o problema da maioria dos profissionais. Então já definimos o Problema.

A causa do problema é tudo o que já foi relatado anteriormente, necessidade de empreender, mercado competitivo etc

Quais são as possíveis soluções?

  1. Me focar na parte técnica e contratar um profissional para cuidar do marketing da minha clinica de estética.
    Essa opção é a melhor delas, claro que dependendo da condição de cada um. Se hoje não é sua realidade ter um profissional exclusivo para gerar vendas para o seu negócio de estética, deveria ser uma meta futura ter uma pessoa como essa no seu quadro de funcionários ou como parceiro de negócios. Pode até ser uma agência, mas que deve ser escolhida a dedo para gerar lucros e não ser uma despesa. Mas acredite, vale a pena investir.
  2. Terceirizar essa tarefa para alguém próximo.

Esse alguém poderá ser um filho ou marido que possa estar junto com você nesta empreitada, desde que ele entenda sobre marketing. Quando começamos um negócio, as vezes precisamos nos virar como podemos. Tenho visto muitos conjugues apoiarem seus parceiros nos negócios, trabalhando integralmente ou parcialmente para deixa-lo livre para atuar tecnicamente. Se você tem essa sorte, e se o outro está preparado para assumir essa tarefa, pode ser uma boa opção.

  1. Fazer uma graduação ou pós graduação em marketing

Essa é uma opção que acredito ser a pior delas em qualquer circunstância para quem é um profissional já formado e atuante na estética. Imagine que você tendo que estudar tantas coisas na estética, se atualizar tecnicamente constantemente, ainda tenha que fazer outra graduação ou até uma pós graduação para aprender um monte de coisa que não vai usar, já que muito do que se ensina nos cursos de graduação e pós graduação são focados em empresas grandes, pois eles preparam profissionais para o mercado de trabalho formal, e não para empreender. E convenhamos, não é a mesma coisa, fazer o marketing para uma multinacional e para uma clínica de estética.

  1. Aprender o essencial para fazer o seu próprio marketing.

Eu lancei um curso chamado Como atrair clientes na Estética, usando toda minha expertise de marketing, conquistada nas minhas graduações de desenvolvimento web e administração de empresas, além da minha história empreendedora onde comecei como empresário na estética (Para conhecer minhas história na estética clique aqui) com um investimento de apenas R$ 200,00 e trouxe um faturamento estrondoso em 11 anos de atuação (conheça o curso online acessando www.atrairclientesnaestetica.com.br).

Esse curso foi um grande sucesso, tendo centenas de alunos e que preparou profissionais sem nenhuma base de como ser bem sucedido na arte de atrair clientes, e que hoje estão com a agenda lotada. Isso tudo porque eu ensinei aquilo que é essencial aprender, nada de blablabla, e coisas da qual não vai usar para nada.
Seja no meu curso, sendo autodidata ou através de qualquer outro profissional do mercado, se você deseja aprender sobre marketing, gestão, ou qualquer outro assunto que seja primordial para ter sucesso no seu empreendimento, aprenda sempre o essencial e foque sua energia em aprender na essência aquilo que você ama, que é a parte técnica da estética em si.

Eu desejo grande sucesso a você, que você consiga realizar seus sonhos, possa empreender com sucesso e levar aos seus clientes sempre o melhor em termos de beleza e bem estar.

Agora cabe a você a escolher qual é a melhor opção para você. Não existe uma resposta certa ou errada, existe aquilo que se encaixa melhor na sua realidade.

Abaixo está minhas redes sociais e qualquer dúvida, estou a disposição

 

Inscreva-se em Minha Lista e Faça parte da Comunidade Empreendedora da Estética
Acesse: http://ift.tt/1Y7S6Dk

Cristiano dos Santos Estética
Empreendedorismo na Estética – Empreender é Poder

SE INSCREVA NO MEU CANAL NO YOUTUBE

Assista minhas dicas em vídeo, clique neste link: https://www.youtube.com/user/cristianoestetica
——————–

➜ ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

BLOG: http://www.cristianodossantos.com.br/
FACEBOOK: https://www.facebook.com/CristianoDosSantosEstetica
INSTAGRAM: https://www.instagram.com/cristianodossantosestetica/
PROGRAMA ESTÉTICA NA TV: https://www.esteticanatv.com.br/

———————–
QUEM SOU EU?
———————–

Eu comecei no mercado de estética em 2005, quando fundei com apenas R$ 200,00 a Loja Estética. Sou palestrante de empreendedorismo, Motivação, marketing e vendas, tendo palestrado em diversos congressos e eventos pelo Brasil e Também em Londres. em 2012 inaugurei o programa de estética profissional de maior sucesso da história, o programa Estética na TV com mais de 2,5 milhões de visualizações no youtube.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *